11 de dez de 2009

PROJETO CASAS DE EMERGÊNCIA VENCE PRÊMIO JOVEM DA PAZ 2009



Construir casas para famílias carentes e para aqueles que perderam tudo, como no caso de enchentes. Essa é a proposta do projeto “Casas de Emergência”, vencedor nacional do Prêmio Jovem da Paz 2009. O projeto é da ONG “Um teto para o meu País”, de São Paulo. O resultado foi divulgado na noite desta quinta-feira (10), no Cietep, em Curitiba.
O Prêmio Jovem da Paz surgiu na Bolívia e esta foi a primeira vez em que foi realizado no Brasil. A edição 2009 contou com o apoio de diversos parceiros, entre os quais o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e o Movimento Nós Podemos Paraná.

“O Nós Podemos Paraná trabalha para que o Estado alcance os Objetivos do Milênio antes do prazo estipulado pela ONU. Notamos que, em todas as regiões, os jovens participam e têm papel fundamental no desenvolvimento de projetos”, disse a coordenadora do Movimento, Maria Aparecida Zago.

A diretora comercial da ONG “Um teto para meu país”, Fernanda Lima, explica que todo o trabalho é realizado por voluntários, principalmente universitários. “O processo de construção de casas estabelece os primeiros vínculos de confiança com os moradores e líderes da comunidade, validando uma relação que nos permite posteriormente um trabalho mais permanente”, diz. As casas têm um custo de R$ 3 mil e são construídas em dois dias.

Protagonismo jovem – Nino Gandariela, criador do Prêmio na Bolívia, participou da premiação em Curitiba e destacou que organizar um prêmio como este não é tarefa fácil. “Com muita vontade e ação conseguimos fazer coisas maravilhosas. Estamos trabalhando com os responsáveis pelo futuro, por isso, nada melhor homenageá-los”, disse, destacando que é na juventude que está a solução para os problemas locais. “É preciso dar oportunidade para que os jovens se desenvolvam e sejam protagonistas da sociedade.”

Outros premiados - Também foram premiados os vencedores por categoria. Na categoria Educação, a vencedora é Marcelle Cavassin Budal, de Itaperuçu (PR), com o projeto “Escola Sustentável”, que trabalha a separação dos resíduos sólidos produzidos na instituição. Já na categoria Comunicação, foi selecionado o documentário “Quebrando o Silêncio”, que retrata o infanticídio indígena. O documentário foi produzido pela jornalista e documentarista Sandra Terena.

O projeto “Quintal Cultural”, de Maceió (AL) foi o selecionado na categoria Arte e Cultura. As atividades do Quintal Cultural acontecem na casa do idealizador do projeto, Rogério Dias, todos os sábados, com diversas apresentações culturais, sendo o teatro a mais expressiva.

3 comentários:

  1. " PARABÉNS"

    esse trabalho de vocês é realmente uma coisa maravilhosa!!!!!

    Continuem

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, só se muda uma Nação com dignidade, ética, solidariedade, justiça e por ai vai...
    Avancem sempre.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante. Estou aqui pra lhe convidar a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles. Estarei lá lhe esperando
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir